quinta-feira, 24 de março de 2011

FANTASIA x REALIDADE (MAS QUAL REALIDADE?)

FANTASIA x REALIDADE (MAS QUAL REALIDADE?)

O que é fantasia e o que é realidade dentro de você? Na sua vida? Na visão que as pessoas possuem de você? Na visão que você mesmo possui de você? Você é 100% verdadeiro? Vive no mundo real? Transmite a realidade?

Nem sempre somos exatamente como gostaríamos de ser, nem sempre alcançamos tudo o que almejamos, e nem sempre vivemos tudo o que gostaríamos. Muitos, frustrados com tal realidade criam um mundo fantasioso. Iludem-se e iludem a outros com mentiras e ilusões. Vamos a exemplos para ficar bem claro:

- Ah, não passei na entrevista porque não me interessei muito pela empresa. / Enquanto na realidade era tudo o que queria.
- Ah ,foi eu quem terminei o namoro, ele não era bem o que eu queria. / Ele(a) terminou o namoro e você ficou arrasada(o).
- A culpa de eu ficar para recuperação, é da professora. Ela foi injusta na hora da nota. / Não estudou, brincou o semestre inteiro.
- Eu sou feliz, sou bonita, tenho um bom emprego, muitos amigos, casa própria, carro. / Tem sim um vazio enorme que nada consegue preencher.
O ser humano tem mania de se esconder-se atrás de propagandas enganosas que faz de si mesmo. Passa uma imagem ilusória, fantasiosa. Possuem medo da realidade. Ou acham-na sem graça. Insastifeitos com a vida que levam, usam válvulas de escapes para não encarar o mundo real. Isso tende a virar uma bola de neve. O que seria um remédio momentâneo vira dependência até não mais fazer efeito. Mas mesmo assim, é mais fácil se esconder de si mesmo do que encarar uma mudança? Se examinar e perceber que sua vida é fruto do que você plantou?
Fora que esse comportamento muitas vezes pode fazê-lo perder o senso do que é realidade e do que é fantasia. E acostumar-se com o mundo fantasioso a tal ponto de viver e acreditar na própria mentira. O fato é que a corda bamba e suspensa da realidade nua e crua, é muito difícil de se equilibrar. Nos ver quem realmente somos, com falhas de caráter, "defeitos" físicos, frustrações. É mais fácil esconder-se atrás do "sucesso pessoal", atrás de mentiras, atrás de aparências, atrás de uma imagem que se passa...é mais fácil e tentador. A vida parece tornar-se mais interessante, ao menos se tem muitas historias fantásticas (mentiras) para contar.
.
.
.
Por outro lado (PARADOXO?), o materialismo moderno tira das pessoas a necessidade de se sentirem responsáveis por tudo na vida, assim como a religião! Recoloquemos a responsabilidade nas nossas mãos mesmo sem respostas claras e reconfortantes. O universo é muito grande e cheio de mistérios.
- Por que continuamos recriando a mesma realidade?
- Por que continuamos tendo os mesmos relacionamentos?
- Por que continuamos tendo os mesmos empregos repetidamente?
- Nesse mar infinito de possibilidades que existem à nossa volta, por que continuamos recriando as mesmas realidades?
- Não é incrível existirem opções e potenciais que desconhecemos?
- É possível estarmos tão condicionados à nossa rotina, tão condicionados à forma como criam nossas vidas, que compramos a idéia de que não temos controle algum?
Fomos condicionados a crer que o mundo externo é mais real e importante que o interno. E é justamente o contrário. O que acontece dentro de nós é que vai criar o que acontece fora. Existe uma outra realidade que é absolutamente sólida, mas só começa a existir quando colide com outro pedaço de sua realidade. Esse outro pedaço pode ser a gente, claro que somos parte desse momento, mas não precisa necessariamente ser. Pode ser uma pedra que venha voando e interaja com toda essa bagunça, provocando um estado particular de existência.
... ... ...
... ...
...
Misturando outros mil pensamentos, lembrei-me de vários filmes, um em especial:
Você abre a porta e entra
Está dentro do seu coração
Imagine que sua dor é uma bola de neve que vai curar você
Esta é sua vida
É a última gota pra você
Melhor do que isso não pode ficar
Esta é sua vida
Que acaba um minuto por vez
Isto não é um seminário
Nem um retiro de fim de semana
De onde você está não pode imaginar como será o fundo
Somente após uma desgraça conseguirá despertar
Somente depois de perder tudo, poderá fazer o que quiser
Nada é estático
Tudo é movimento
E tudo esta desmoronando
Esta é sua vida
Melhor do que isso não pode ficar
Esta é sua vida
E ela acaba um minuto por vez
Você não é um ser bonito e admirável
Você é igual à decadência refletida em tudo
Todos fazendo parte da mesma podridão
Somos o único lixo que canta e dança no mundo
Você não é sua conta bancária
Nem as roupas que usa
Você não é o conteúdo de sua carteira
Você não é seu câncer de intestino
Você não é o carro que dirige
Você não é suas malditas calças
Você precisa desistir
Você precisa saber que vai morrer um dia
Antes disso você é um inútil
Será que serei completo?
Será que nunca ficarei contente?
Será que não vou me libertar de suas regras rígidas?
Será que não vou me libertar de sua arte inteligente?
Será que não vou me libertar dos pecados e do perfeccionismo?
Digo: você precisa desistir
Digo: evolua mesmo se você desmoronar por dentro
Esta é sua vida
Melhor do isso não pode ficar
Esta é sua vida e ela acaba um minuto por vez
Você precisa desistir
Estou avisando que terá sua chance
"(Tyler Durden; Clube da Luta)"
Fontes: http://neuroticaeunao.blogspot.com/2011/02/o-que-e-realidade-x-o-que-e-delirio.html http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2005/09/quem_somos_nos.html http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2005/02/clube_da_luta.html

3 comentários:

tiemi santiago disse...

Acho que a parte social é uma das razões para essas mentiras que contamos para nós mesmos, e para recriarmos as realidades que já vimos milhões de vezes.

O tal ser aceito, ser 'bem visto', querer se sentir dentro de alguma coisa (ao mesmo tempo que às vezes a gente quer se sentir 'fora'), querer que sintam orgulho de nós e não percebam as nossas fraquezas.

O que acho meio bobagem... Afinal, quem importa realmente para nós, acaba geralmente nos aceitando como somos, e percebendo as fraquezas, e sentindo orgulho, e etc...

What Are You Going to Do with Your Life? disse...

É verdade, Ti. A exigência social é nosso demonio. rs. E o orgulho também é complicado. Pricipalmente o próprio.

E só completando sobre "quem importa realmente para nós acaba nos aceitando", eu acho tão tão difícl também. Muito do problema também reside aí mesmo: - Às vezes quem importa para nós não aceita e nunca se orgulha de nada...por isso esse comportamento "mentiroso", tema do post.

Cada vez mais, acho que tantas falhas nossas vêm do que vivemos da infância. Descobri muito disso na minha vida adulta. Ainda tem muito mais para examinar.

Obrigado pela visita. É sempre muito bem vinda.

. disse...

Bastante profundo.

Já me ouviu dizer que não quero mais "ser eu"? Pois é... cada hora entendo ser um "eu" diferente que não quero.

Criamos várias máscaras para viver neste mundo por conta das exigências sociais... é o normal e é o que permitimos. Sair disso seria sair da matrix. A auto-observação permite isso, justamente porque passamos do momento "marionete", de fazer tudo igual e condicionado como sempre, e passamos a nos questionar "qual o propósito de fazer istou ou aquilo?". Não se trata de ser rebelde, anarquista, insubordinado, não digo que vamos deixar de fazer tudo e entrar num estado de reflexão eterna, porém comecemos a descobrir o sentido de tudo o que fazemos. É bom estar acordado às vezes, desta forma sentimo-nos vivos de verdade. Bom, pelo menos eu, sim.

Postar um comentário

fala que eu te escuto: